Compartilhe
Ir em baixo
avatar
analu
.
.
Feminino
Número de Mensagens : 2596
Data de inscrição : 12/01/2009

Re: Alienação parental

em Qua Jun 02, 2010 10:18 am
Rebeca se houver abusos esses são fáceis de detectar e se houver pressão sobre a criança ela acabará por desarmar e contar a verdade. Mas felizmente estes casos não são a maioria.
Daí não se estar aqui a fazer referência a esses casos.
Como a maioria é os casos em que os adultos usam os filhos como armas de arremesso para atingir e magoar o outro, são esses que são discutidos aqui!
avatar
analu
.
.
Feminino
Número de Mensagens : 2596
Data de inscrição : 12/01/2009

Re: Alienação parental

em Qua Jun 02, 2010 10:22 am
As mães e mulheres não são nenhumas bruxas para se apedrejar na praça pública na medida em que os pais e homens também não o são e tal como as mães têm os seus direitos!!
avatar
fsonecas
.
.
Masculino
Número de Mensagens : 6303
Data de inscrição : 22/02/2010

Re: Alienação parental

em Qua Jun 02, 2010 11:29 am
tpt
Convidado

Não quero a caça às bruxas, mas quero a caça a quem prevarica

em Qui Nov 11, 2010 12:35 am
Segui este programa na altura. Tenho uma filha de 4 anos e quero apresentar um pouco (muito pouco) da minha situação e quero lembrar que existem bons e maus pais, boas e más mães, separados ou não:

Eu sou sistematicamente impedido de estar com a minha filha, e posso garantir, que há mães com uma grande imaginação para o fazer.
Já fui a tribunal, queixar-me e fui pressionado por parte da juíza para desistir das queixas contra os incumprimentos sucessivos da mãe. Com o argumento de tentar promover uma boa relação entre progenitores.
Posso afirmar que fui beneficiado pelo novo acordo de poder paternal, que na altura se acordou, pena que este nunca fosse cumprido.
Tenho o direito a estar com a minha filha aos dias de semana, sempre que o entenda, entre as 18:30 e as 21:00, durante 1 hora, desde que avise a mãe no dia anterior (isto nunca foi cumprido) É pena pena que assim seja, pois eu e a mãe da minha filha moramos perto, o que permitiria esta realidade.
No entanto por parte da mãe não há qualquer problema e vir-ma trazer sem qualquer aviso às 22:00 para que eu passe a noite com ela. Eu sempre me disponibilizei para que a minha filha ficasse comigo durante a noite, mas quero conviver com ela e não é às 22:00 que eu o vou fazer.Sempre facilitei a convivência com a mãe durante as minhas férias, ou até durante os fins de semana que está comigo.
Tenho o poder paternal partilhado, no entanto a mãe já impediu que eu a visitasse no infantário, e inclusive que eu a fosse lá buscar. Neste caso, como é a mãe que tem a guarda da nossa filha, a directora do colégio alega que é esta o encarregado de educação, acatando todas a ordens dela.
Como já me queixei ao tribunal há mais de um ano, fartei-me e fui buscar a minha filha ao referido colégio, mas toda a situação que se gerada não é benéfica para a minha filha, com a educadora a pedir-me para que eu não a leve e a tentar obstruir a nossa saída.

Não quero sujeitar mais a minha filha a este tipo de situações, mas a verdade é que nem me deixam falar com ela ao telefone, já assisti à minha filha a perguntar à mãe se pode estar comigo e a ser maltratada por isso.

Resta-me esperar para ir a tribunal e ter a sorte que não apanhar um daqueles juízes sem sensibilidade para estas situações
Conteúdo patrocinado

Re: Alienação parental

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum