divórcio, separação, filhos, apoio emocional
 
InícioInício  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se    

Compartilhe | 
 

 Aspectos práticos: Questões

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3 ... 16 ... 30  Seguinte
AutorMensagem
Postal
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 2237
Data de inscrição : 28/07/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Qui Out 09, 2008 12:01 pm

Bem vindo Andy

Sobre esses assuntos de partilhas não percebo nada mas deve haver por aqui alguém que te saiba ajudar.

Pelo que leio aqui, o facto de não ter filhos não quer dizer que vai ser tudo mais simples, tudo depende do bom senso de cada um.
sunny
Voltar ao Topo Ir em baixo
alma
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 191
Data de inscrição : 02/10/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Qui Out 09, 2008 12:13 pm

Olá Andy

De facto retirar dinheiro de uma conta conjunta é muito desleal.
Pela lei até ao fim do divórcio tudo é comum, portanto o dinheiro existente em contas correntes ou depósitos de poupança é de ambos. Não te posso dar qualquer indicação de como torneares isso, terá que ser de mútuo acordo. Devo dizer porém, que se te anticipares a levantá-lo estás a comprar uma guerra longa. E no acordo de divórcio podes sempre dizer que havia uma quantia x pertencente ao casal.

A prestação da casa, se corresponde a um empréstimo bancário, é da responsabilidade de ambos, por lei cada um é chamado à responsabilidade caso haja falta de provimento na conta bancária. O ideal será continuar a pagar metade por forma a não incorrer na falta de pagamento. No caso de um ficar a viver na casa, podem tentar combinar que esse fique a pagar a totalidade até ao divórcio ser definitivo legalmente. Mas isto é apenas um acordo de cavalheiros, porque até à data de divórcio o empréstimo é de ambos. E apenas a seguir ao divórcio é que se faz a partilha do bem, vendendo-o ou ficando um com a hipoteca bancária.

Concluindo, garantir que a partilha seja justa apenas por comum acordo, ou seja de uma forma amigavel em que ambos estejam de acordo. De resto apenas por forma jurídica.

Espero que tomes as melhores decisões, mas não esperes que o processo seja linear e fácil.

Alma
Voltar ao Topo Ir em baixo
Flow3r
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 34
Data de inscrição : 02/10/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Qui Out 09, 2008 4:32 pm

ola,

estou em processo de divorcio identico ao teu e tb nao tenho filhos

uma maneira de te precaveres que ela nao levanta dinheiro, quando falares que queres o divorcio é dares ordens ao banco, para que todo o dinheiro seja movido com o consentimento de 2 assinaturas.

Caso contrário, tu ou ela, podem levar o dinheiro e por muito que provem que havia X dinheiro nao o vão ver mais.
Isto é o que na pratica vejo que se passa e que felizmente no meu caso temos sido pessoas conscientes.

Em relação a casa e as prestações tudo é possível desde que cheguem a um consenso, mas claro que até alguem decidir ficar com a casa ou vender , a casa e o emprestimo é da responsabilidade de ambos

nao sou especialista em nada, apenas apresento o meu testemunho
Voltar ao Topo Ir em baixo
AISHA
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 63
Data de inscrição : 28/08/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Seg Out 13, 2008 9:53 am

Olá Andy, vou-te esclarecer rápidamente as tuas duvidas.

1º - Ela pode ser muito materialista e levantar todo o vosso dinheiro, mas o que está na lei é que o dinheiro tem de ser dividido pelo 2.

2º - Tu até podes saír de casa, mas obrigatóriamente terás de continuar a pagar a tua parte da prestação da casa, ou então, quando ela for vendida terás de dar todos os acumulados á tua mulher.

Falo por experiência própria.

Jinhos
Voltar ao Topo Ir em baixo
AISHA
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 63
Data de inscrição : 28/08/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Seg Out 13, 2008 10:04 am

uma maneira de te precaveres que ela nao levanta dinheiro, quando falares que queres o divorcio é dares ordens ao banco, para que todo o dinheiro seja movido com o consentimento de 2 assinaturas.
Caso contrário, tu ou ela, podem levar o dinheiro e por muito que provem que havia X dinheiro nao o vão ver mais.


Olá Flower, a mim aconteceu-me isso o meu ex levantou todo o nosso dinheiro nas minhas costas e consegui provar que foi ele, até porque o dinheiro é meu e se alguem o levantou o banco tem de se responsabilizar por isso, e assim foi, mostraram-me 1 talão de levantamento assinado pelo meu ex. Hoje com o divórcio é obrigado a dar-me a minha parte, de nada lhe valeu a sua vigarice.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Flow3r
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 34
Data de inscrição : 02/10/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Seg Out 13, 2008 3:49 pm

Aisha, finalmente vejo um pouco de justiça aleluia:-)
Força!
Voltar ao Topo Ir em baixo
qd



Feminino
Número de Mensagens : 2
Data de inscrição : 16/10/2008

MensagemAssunto: Divórcio para quando? Qui Out 16, 2008 5:45 pm

Coloquei os papéis para o divórcio há 3 meses. E ainda não me disseram nada. Há alguém que me possa dizer quanto tempo leva um divórcio por mutuo consentimento envolvendo poder paternal? É que o meu ainda marido ainda está na mesma casa que eu (não querendo sair...) e está a dar comigo em doida! Após um casamento de 10 anos fartei-me. Dele e das suas "atitudes" mais desrespeituosas... Sei que não aparento, mas estou desesperada com tudo isto. E já agora, alguém sabe se é possivel acompanhar o processo? Saber se já foi enviado para o Ministério Público, ou se já foi analisado por este? Já não consigo aguentar muito mais... Por favor! Obrigado.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Postal
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 2237
Data de inscrição : 28/07/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Qui Out 16, 2008 7:02 pm

Bem vinda qd

Eu de divórcio não percebo nada, mas conheço um casal que num mês divorciou-se. Eu quando quero saber como vai o processo vou lá e eles mostram-me, inclusive até fotocópias me dão. Só tens de te dirigir ao respectivo juízo cível e levar o número do processo.
Boa sorte sunny
Voltar ao Topo Ir em baixo
Tuca
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 195
Data de inscrição : 17/06/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Sex Out 17, 2008 2:55 am

Olá QD!
Sê bem vinda.
Em relação à tua questão, não mencionaste se o processo de divórcio deu entrada na Conservatória do Registo Civil, mas para ser por mútuo consentimento só pode ter sido.
Quando o divórcio entra na Conservatória e tem acordo do poder paternal, este tem que ser remetido ao Ministério Público que irá analisá-lo, ver se os interesses da criança estão assegurados e depois devolve-o à respectiva Conservatória. Normalmente o Ministério Público tem um mês para dar resposta. Só depois é que é marcada a conferência do divórcio.
Se quiseres saber alguma informação dirige-se à Conservatória onde deram entrada do processo e pede informações.
Voltar ao Topo Ir em baixo
qd



Feminino
Número de Mensagens : 2
Data de inscrição : 16/10/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Sex Out 17, 2008 12:57 pm

Sim, peço desculpa por não ter mencionado. Foi na Conservatória do Registo civil. Obrigado pelas respostas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Como dar o primeiro passo Sab Fev 07, 2009 6:41 am

Depois da decisão da separação (para já ainda não divórcio) há tantas coisas a tratar...
A minha única preocupação são os meus filhos e fazer com que eles sofram o menos possível com tudo isto. Impedi-los de sofrer já sei que infelizmente não é possível - quem me dera protegê-los disto também - descobrir a forma de a dor ser menor é que é para já o meu objectivo.
Nos próximos meses não vai haver saídas de casa repentinas, tudo vai ser pensado e planeado, até porque financeiramente há muita coisa a tratar.

Mas...qual é de facto o primeiro passo para a separação? Como se faz, por onde se começa? Desculpem se parece uma pergunta estúpida mas sinceramente paraece-me uma estrada tão comprida. Rolling Eyes
Voltar ao Topo Ir em baixo
dulia
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 1446
Data de inscrição : 17/11/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Sab Fev 07, 2009 9:15 am

é natural essa sensaçao, mas começa pelo inicio. E depois vais ultrapassando as dificuldades conforme elas te apareçam.

Qto a dizeres que queres te separar... diz isso mesmo, directa e curta. E mesmo assim prepara-te...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Sab Fev 07, 2009 12:50 pm

Dúlia, nós já conversámos sobre isso. e sempre que o assunto vem à baila Às vezes reage bem, outras não (penso que está convencido que eu acabo por ficar :S)
Voltar ao Topo Ir em baixo
tounessa
.
.


Masculino
Número de Mensagens : 2288
Data de inscrição : 12/10/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Dom Fev 08, 2009 11:35 am

Preferencialmente ….


[Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]


… e estar preparado para manter sempre a calma e a lucidez … sem nunca descorar os filhos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
dulia
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 1446
Data de inscrição : 17/11/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Dom Fev 08, 2009 12:14 pm

Qdo nao é de comum acordo, quem quer é que tem mesmo de dar o passo...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Dom Fev 08, 2009 2:45 pm

dulia escreveu:
Qdo nao é de comum acordo, quem quer é que tem mesmo de dar o passo...

Pois...e arranjar coragem para pô-lo fora se ele não consegue sustentar-se? No EU quero convencê-lo que o melhor para os dois é ele sair e arranjar maneira de se sustentar, mas ele vê essa ideia tão longínqua que se vai acomodando. Vai pegar-se sempre pela desculpa de que primeiro tem de arranjar maneira de se sustentar sozinho e que depois então é que poderá sair. Como é que eu dou o primeiro passo neste caso?? Neutral Saio eu com os miúdos? A casa é grande de mais so para ele. Por outro lado não o quero ver passar fome ou ter de voltar para casa dos pais...
Voltar ao Topo Ir em baixo
AISHA
.
.
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 63
Data de inscrição : 28/08/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Seg Fev 09, 2009 3:55 am

Bom dia Slim, posso aqui postar o caso da minha colega. Levou 16 anos a lutar por 1 casamento que já não existia, 3 dos ultimos anos era só ela a trabalhar e a sustentar a casa e os filhos. Até ao dia do divórcio ele nunca acreditou que ela tivesse coragem para seguir em frente daí nem sequer ter procurado casa nem trabalho. Só te posso dizer que passado 2 semanas já tinha trabalho e casa.

Jinhos e boa sorte.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Unfug
.
.
avatar

Masculino
Número de Mensagens : 422
Data de inscrição : 12/01/2009

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Seg Fev 09, 2009 8:22 am

Olá,
posso contar o meu caso em que a sequência tem sido esta:

1. Conversar e decidir os 2 que o melhor a fazer é uma separação/divorcio
2. Encontrar uma solução para a "casa de familia", decidir quem sai, quem fica etc.
3. Acordar como serão as visitas/guarda dos filhos quenado estiverem separados
4. Decidir como serão as partihas
5. Contar aos filhos o que irá acontecer num futuro próximo
6. Separação de facto
7. Papelada do divórcio

Eu já ultrapassei a fase 4 mas ainda não contei aos filhos (contamos). Essa irá ser (para mim pelo menos) a pior parte até á separação de facto.
Não sei, e já perguntei noutro tópico, qual a antecedência com que se deve contar uma coisa dessas a 2 crianças de 6 e 8 anos que vão cair das nuvens uma vez que os pais se tão relativamente bem e que eles consideram que somos namorados. De facto mantivemo-nos civilizados neste processo todo até agora mas com cada dia que passa vai se tornando cada vez mais dificil uma vez que, para mim pelo menos, é dificil mentalizar-me que eu já não tenho nada a ver com a vida da minha ainda esposa (nem ela com a minha). Isso para dizer que quanto mais rápido (uma vez a decisão tomada) a separação melhor. Não porque (no meu caso) desteste ou não suporte o outro, pelo contrário talvez, mas pq acredito que "longe da vista, longe do coração" e o "tempo cura tudo" sejam mesmo verdades universais. A minha acontecerá daqui a um mês e meio mas por mim seria já amanhã.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Ter Fev 10, 2009 3:24 pm

Aisha, pois possivelmente terá de ser assim, ele precisa de uma "estalada" da seria para acordar...

Unfug, sim, contar aos filhos assusta-me terrivelmente. Aliás, é so por eles que eu ainda estou casada,,,,
Voltar ao Topo Ir em baixo
browneyed girl
.
.


Feminino
Número de Mensagens : 1660
Data de inscrição : 28/10/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Qui Fev 12, 2009 4:24 am

Gerir prioridades, sentimentos, trabalho ...

Os filhos primeiro. Sempre.

Há dias terrivelmente assustadores. Até ao dia em que... tem mesmo de ser.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Charlote

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 2
Data de inscrição : 11/02/2009

MensagemAssunto: Nulidade Matrimonial Qui Fev 12, 2009 8:56 am

Olá,
Este é o meu 1º tópico cá no fórum.
Ainda não me sinto preparada para partilhar a minha vivência. O meu (ainda) marido está em parte incerta e cortou comigo todos os meios de contacto desde o dia 29 de Setembro de 2008.
Já tomei a decisão de me divorciar, só estou à espera que ele se digne a aparecer para ser divórcio por mútuo consentimento.
A outra decisão que tomei foi a de pedir a nulidade matrimonial. Já me informei sobre o assunto, mas ainda não encontrei ninguém que tivesses passado por essa situação, logo não tenho feedback sobre o lado emocional desse processo (para me ir preparando).
Alguém já passou ou está a passar por um processo destes?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Qui Fev 12, 2009 9:29 am

browneyed girl escreveu:
Gerir prioridades, sentimentos, trabalho ...

Os filhos primeiro. Sempre.

Há dias terrivelmente assustadores. Até ao dia em que... tem mesmo de ser.

Browneyed, esse dia para mim está a chegar. Sinto.me emocionalmente esgotada. Agora escolho:ou me anulo como mulher mas mantenho os meus filhos com ambos os pais em casa (sem que no entanto se abracem ou troquem carinhos) ou dou um passo em frente e começo a viver. Estou a avançar em direcção ao segundo passo porque me sinto sem forças para esse sacrifício pelos filhos. Se calhar sou egoísta, mas não consigo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
browneyed girl
.
.


Feminino
Número de Mensagens : 1660
Data de inscrição : 28/10/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Qui Fev 12, 2009 10:10 am

Slim,

Vou começar pelo fim. Não te acho egoísta. Não tenho por hábito julgar ninguém. De igual modo ... não me incomoda que me julguem, especialmente quando os meus porquês são desconhecidos.
Tudo o que se faz por amor jamais será um sacríficio.

O facto de os filhos virem sempre em primeiro lugar e a mãe/pai recomeçar a viver não podem/devem ser mutuamente exclusivos. Mas, situações há em que, por circunstâncias da vida, tal acontece. E esse é o meu caso.
Mas igualmente te digo ... a qualquer momento, será o momento.

E em bom rigor ... tudo pode acontecer. Não sei o que o futuro me reserva.
Não sei como vai ser amanhã. Há muita coisa a mudar na minha vida e tudo ao mesmo tempo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
tounessa
.
.


Masculino
Número de Mensagens : 2288
Data de inscrição : 12/10/2008

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Qui Fev 12, 2009 2:28 pm

Nulidade matrimonial?
Em que base e com que justificação? Não foi da vossa livre vontade e no pleno gozo das vossas faculdades? ( estou a lembrar-me do falso padre que celebrou o casamento de muita gente e …mesmo assim …)
Quanto ao facto de ele cortar todos os meios de contacto, nada de novo. É banal e sintomático (desde a sua necessidade de isolamento à necessidade de afrontar).
Quanto ao “mútuo consentimento”, isso não é relevante! A nova lei do divórcio acabou com essa necessidade. Bastam “ Quaisquer outros factos que, independentemente da culpa dos cônjuges, mostrem a ruptura definitiva do casamento.”

Artigo 1773.º
[...]
1 — O divórcio pode ser por mútuo consentimento
ou sem consentimento de um dos cônjuges.
2 — O divórcio por mútuo consentimento pode ser
requerido por ambos os cônjuges, de comum acordo, na
conservatória do registo civil, ou no tribunal se, neste
caso, o casal não tiver conseguido acordo sobre algum
dos assuntos referidos no n.º 1 do artigo 1775.º
3 — O divórcio sem consentimento de um dos cônjuges
é requerido no tribunal por um dos cônjuges contra
o outro, com algum dos fundamentos previstos no
artigo 1781.º

Artigo 1781.º
Ruptura do casamento
São fundamento do divórcio sem consentimento de
um dos cônjuges:
a) A separação de facto por um ano consecutivo;
b) A alteração das faculdades mentais do outro cônjuge,
quando dure há mais de um ano e, pela sua gravidade,
comprometa a possibilidade de vida em comum;
c) A ausência, sem que do ausente haja notícias, por
tempo não inferior a um ano;
d) Quaisquer outros factos que, independentemente
da culpa dos cônjuges, mostrem a ruptura definitiva
do casamento.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Charlote

avatar

Feminino
Número de Mensagens : 2
Data de inscrição : 11/02/2009

MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões Sex Fev 13, 2009 9:11 am

tounessa escreveu:
Nulidade matrimonial?
Em que base e com que justificação? Não foi da vossa livre vontade e no pleno gozo das vossas faculdades? ( estou a lembrar-me do falso padre que celebrou o casamento de muita gente e …mesmo assim …)
Quanto ao facto de ele cortar todos os meios de contacto, nada de novo. É banal e sintomático (desde a sua necessidade de isolamento à necessidade de afrontar).
Quanto ao “mútuo consentimento”, isso não é relevante! A nova lei do divórcio acabou com essa necessidade. Bastam “ Quaisquer outros factos que, independentemente da culpa dos cônjuges, mostrem a ruptura definitiva do casamento.”

Tounessa:
Obrigada pelo teu comentário.
O mútuo consentimento é relevante em termos de custos. Não há a necessidade de pagar honorários a advogados, de pagar custas judiciais (o mútuo consentimento fica por €250), de expôr a minha vida perante um tribunal. É bastante mais simples e eficaz Smile
De qualquer forma já me informei sobre o processo de nulidade matrimonial: os emolumentos são € 1000. Demora cerca de 1 ano e meio a 2 anos. É necessário ter um advogado constituído para o efeito, tendo este de ser credenciado no Tribunal Eclesiástico.
O próximo passo será ir a um advogado, mas isso é muito exigente emcionalmente e estou a adiar Razz
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Aspectos práticos: Questões

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Aspectos práticos: Questões
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 30Ir à página : Anterior  1, 2, 3 ... 16 ... 30  Seguinte

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Fórum Divórcio :: LIDAR COM O DIVÓRCIO :: O Processo de Divórcio-
Ir para: